Low Carb revoluciona alimentação saudável, dizem especialistas

Low Carb revoluciona alimentação saudável, dizem especialistas

A dieta low carb veio estabelecer uma nova ordem mundial em termos de nutrição humana, e a Univiçosa é pioneira entre as instituições brasileiras de ensino superior ao sediar um evento científico sobre o tema

Publicado em 02 de maio de 2017

Equipe Univiçosa junto aos palestrantes do evento

Estamos vivendo uma quebra de paradigmas em termos de alimentação saudável. A dieta low carb veio estabelecer uma nova ordem mundial em termos de nutrição humana, e a Univiçosa é pioneira entre as instituições brasileiras de ensino superior ao sediar um evento científico sobre o tema. Essa foi a opinião unânime dos palestrantes que participaram do workshop “Low Carb: Concepção e Evidências Científicas”, no Centro de Convenções da Univiçosa, neste sábado e domingo, dias 29 e 30 de abril.

Fotos

O evento reuniu cerca de 400 pessoas, entre estudantes da Univiçosa e de outras instituições, profissionais e pesquisadores da área da Saúde, especialmente Medicina, Enfermagem, Nutrição e Educação Física.

Na abertura, sábado pela manhã, o Presidente da Univiçosa, Professor Nelson Fernandes Maciel, disse que o evento é muito importante para a comunidade e para os profissionais da Saúde, “porque cria um debate na comunidade, em especial entre os profissionais. É o primeiro evento dessa natureza dentro de uma instituição de ensino no país. E nós conseguimos reunir aqui os principais especialistas do Brasil. É uma nova ordem. São conceitos novos. Essa nova ordem é um desafio, porque existem conceitos antigos sendo quebrados. Quem inicia uma nova ordem enfrenta muitos problemas. Indústrias e profissionais serão afetados. Os precursores do low carb estão enfrentando problemas de todos os lados, mas estão levando a sociedade a repensar seus conceitos sobre alimentação saudável. Low carb traz benefícios para a saúde, cura muitas doenças. Nós da Univiçosa estamos felizes por promover esse debate que, tenho certeza, trará mudanças fundamentais na consolidação dessa nova ordem, que haverá de prevalecer”.

Para o Diretor Geral da Univiçosa, Professor Evaldo Zeferino Rodrigues, o evento proporciona novos conhecimentos a professores e estudantes. “O low carb é uma quebra de paradigmas por estimular o baixo consumo de carboidratos. Nós da Univiçosa, que oferecemos seis cursos na área da Saúde — um deles Nutrição, temos certeza de que essa quebra de paradigmas dentro da Instituição vai se propagar pelo Brasil, a partir da produção científica e da realização de pesquisas envolvendo nossos alunos e professores”.

A palestra de abertura do workshop foi ministrada pelo médico José Carlos Stumpf Souto: cirurgião urologista do Rio Grande do Sul, com especialização e mestrado em Patologia Experimental. O tema da palestra foi “Histórico das recomendações nutricionais e evidências científicas sobre low carb no controle do peso e Diabetes Mellitus”. Dr. Souto sustentou que low carb é uma das estratégias alimentares que fazem bem à saúde. “Existem várias estratégias alimentares reconhecidamente saudáveis. Podemos citar a dieta do Mediterrâneo, por exemplo, já consagrada do ponto de vista científico. O que existe é um desconhecimento e, às vezes, noções erradas a respeito da dieta low carb. Ela é especialmente recomendada para pessoas com problemas de sobrepeso, de diabetes e de síndrome metabólica. Nesses casos, existem publicações indicando benefícios superiores da dieta low carb em relação à abordagem tradicional baseada simplesmente em restrição calórica”. O especialista disse ainda que o evento promovido pela Univiçosa de fato quebra paradigmas por estabelecer claramente a discussão sobre a integração da abordagem low carb dentre as alternativas saudáveis disponíveis no contexto do ensino superior.

A segunda palestra do sábado foi sobre “Comida de verdade na perspectiva da dieta Low-carb: do supermercado à mesa”, com Polyana Rossi de Rocha Freitas: nutricionista com especializações em Gestão de Negócios e Qualidade em Alimentos, estudiosa e adepta da dieta há 5 anos e autora do blog Nutridas Panelas.

À tarde houve palestras de Rafael Pereira Lund: educador físico com mestrado em Ciência do Desporte e grande experiência como personal trainer de celebridades; Patrícia Gomide Ayres: nutricionista estudiosa de low carb, culinarista, moderada de blogs especializados e administradora de conteúdo da Tribo Forte; e uma meditação sobre evidências científicas no contexto da saúde, transtornos alimentares e ansiedade, com Ruy Ferreira Afonso, educador físico, especialista em atividade física e qualidade de vida, fisiologia do exercício e medicina comportamental, com mestrado em Psicobiologia, doutorando em neurociências.

A programação de domingo do worksop foi iniciada às 8h com palestra sobre “Quebra de paradigma: Dieta Low-carb é perigosa?”, ministrada pelo médico nefrologista da Sociedade Mineira de Nefrologia José de Resende Barros Neto. Comentando o medo de que a dieta low carb traz riscos à saúde dos ossos, intestinos e rins, o especialista disse que “criou-se um medo completamente desnecessário a partir dos anos 60. Isso virou senso comum, e acabou que as pessoas esqueciam as causas básicas como hipertensão e diabetes, e passaram a tratar o medo e não uma verdade científica”. Sobre a síndrome metabólica, Dr. Neto disse que low carb é “a melhor estratégia de tratamento. A síndrome metabólica é causada basicamente pelo excesso de carboidratos. Esse excesso gera a hiperinsulinemia; a insulina fica persistentemente alta no corpo, o que gera resistências, que só podem ser tratadas se for retirada a causa: o excesso no consumo de carboidratos refinados”. O médico elogiou a Univiçosa pela iniciativa de promover o workshop. “Está sendo discutida ciência de verdade onde jamais deveríamos ter deixado de discutir. Hoje, à luz da evidência atual, low carb é sim uma boa estratégia”.

A última palestra foi “Low-carb e jejum intermitente: Resultados e estratégias na prática clínica”, com a nutricionista Fernanda Muller — especialista em nutrição ortomolecular, mestre em ciência do desporto e uma das mais requisitadas em atendimento clínico voltado para o emagrecimento saudável, tendo atores globais entre seus clientes. Sobre low carb e hipertrofia, Nanda Muller explica que é uma combinação possível, quando comparada a dietas tradicionais, embora o foco não seja exatamente esse. “É emocionante participar de um evento como esse em uma instituição de ensino superior. Um dia, numa palestra do Dr. Souto, foi plantada a semente do low carb, e isso mudou a minha vida, abriu a minha mente, mudou meus conceitos sobre Nutrição. Espero que isso aconteça a partir de evento. Que as pessoas possam estudar cada vez mais, e perceber que essa é uma das estratégias de emagrecimento e qualidade. Não é a única, mas funciona e não faz mal”.

No encerramento do evento, uma mesa-redonda envolveu todos os palestrantes, e foi moderada pela Professora Raquel Alves.

A Gestora do curso de Nutrição da Univiçosa, Professora Cristiane Sampaio, agradeceu a colaboração de todos os envolvidos na organização do evento e a oportunidade dada pela Instituição. Sampaio ressaltou que, em um primeiro momento, o workshop foi pensado para os alunos, mas, diante da importância do assunto, acabou aberto à comunidade externa. A Gestora anunciou que a Clínica de Nutrição da Univiçosa fará atendimento direcionado a dieta low carb, em trabalho coordenado pela Professora Raquel Alves.


Fonte: https://www.univicosa.com.br/uninoticias/noticias/low-carb-revoluciona-alimentacao-saudaveldizem-especialistas