saiba mais sobre
os financiamentos

Financiamento Unifácil Financimaneto Estudantil



LiveZilla Live Help




 Boletim Univiçosa - Fique informado sobre a últimas novidades


Notícia

28/09/2010

Enfermagem da Univiçosa explica cuidados com as mamas e técnicas de amamentação

tags: saúde    enfermagem   
Enfermagem da Univiçosa explica cuidados com as mamas e técnicas de amamentação Amamentação correta é fator de saúde e bem-estar para mãe e bebê

 

Alessandra Santos de Paula (1), Karina Aparecida Rodrigues (2), Fernanda Gonçalves Fontes (3), Jaqueline Carrara Folly Valente (4)

Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), o aleitamento materno deve ser exclusivo até os 6 meses de idade, com introdução de outros alimentos a partir desta idade. Amamentar é proporcionar aos bebês todos os nutrientes e a proteção imunológica que os pequenos precisam durante os seis primeiros meses de vida. Isso é uma afirmação que maioria das mamães já sabe de cor e salteado.

Para tanto, as futuras mamães devem iniciar o preparo para a amamentação ainda durante a gestação. É imprescindível que a gestante queira amamentar e tenha o apoio familiar. O Enfermeiro pode auxiliar neste preparo, que inclui orientar sobre os cuidados com as mamas e ensinar as técnicas de amamentação.

Cuidados com as mamas

A preparação das mamas deve acontecer ainda durante a gestação. É nesta fase que as futuras mamães aprendem tudo sobre aleitamento. Durante o pré-natal, na consulta de enfermagem, a mãe receberá orientações do enfermeiro sobre a importância da amamentação, a alimentação do bebê e os cuidados a tomar.

Existem algumas técnicas que podem ser usadas para fortalecer o bico do seio e estimular as glândulas mamárias, de forma a evitar problemas na hora da amamentação.

  • A regra número um é lavar o bico do seio apenas com água, não utilizando sabonete, pois eles já têm uma hidratação natural ideal que deve ser preservada;
  • O banho de sol é um dos melhores procedimentos para preparar os seios, e deve durar de 10 a 15 minutos todos os dias, antes das 10 da manhã ou depois das 16 horas. Dependendo do tipo de pele e da intensidade do sol, esse tempo de exposição pode ser aumentado ou diminuído;
  • Se não tiver como tomar sol, pode-se utilizar uma lâmpada comum com a mesma finalidade, mantendo 20 cm de distância. Deve ser utilizado com cautela, devido ao risco de queimaduras;
  • As mulheres com o bico do seio invertido devem fazer uma massagem específica para estimular a saída do bico para fora. Muitas vezes, durante a gestação ele sai naturalmente. Caso isso não ocorra, a gestante deve segurar a extremidade do bico com o polegar e o indicador e rodar os dedos, como se estivesse aumentando o volume de um rádio.

Mesmo nos casos em que exista alguma alteração nas mamas a amamentação pode ser realizada com sucesso, pois envolvem aspectos não só físicos, mas psíquicos e emocionais, passando também pelo “querer” da mãe. A ideia de que, se o bico não se torna visível a mãe não conseguirá amamentar não é verdadeira, pois, mesmo com o bico invertido ou plano, o bebê pode realizar uma boa pega na aréola e conseguir amamentar.

Técnicas de amamentação

O momento da amamentação é único e merece uma preparação toda especial. Existem algumas técnicas que ajudam a mamãe a achar a posição correta para acomodar o bebê e facilitar a pega.

Existem três posições mais comuns, mas nada impede mãe e bebê de acharem uma forma mais agradável na hora da mamada. A posição tradicional é a sentada, onde o bebê fica de frente pra mãe, barriga com barriga e, quanto mais colados, estiverem mais fácil é a amamentação. Na posição sentada inversa, a mãe deve segurar o bebê como se fosse uma bola de futebol americano, colocando o corpinho debaixo de sua axila, com a barriga apoiada nas suas costelas. A mãe apóia o corpo do bebê com o braço e a cabeça com a mão. Essa posição facilita para o bebê pegar uma boa parte da auréola.

Algumas mães, especialmente as que se submetem a cesariana, optam por amamentar os filhos deitadas, posição em que o bebê fica de frente para a mãe, barriga com barriga.

Depois de achar a melhor posição, o primeiro passo é colocar o seio na boca do bebê. Ao tocar o mamilo no lábio inferior do bebê ele abrirá a boca. Nesta hora, a mãe deve enfiar o máximo da auréola na sua boquinha, puxando firmemente sua cabeça para a mama.
Independentemente da posição que a mãe escolher para amamentar o bebê, é importante ela estar relaxada, confortável e bem apoiada, sem se curvar para frente ou para trás. Não amamente caminhando!

O bebê, da mesma forma, tem que estar posicionado corretamente, com o corpo junto ao da mãe, na altura da mama, os quadris seguros e o pescoço levemente esticado.

Para ter uma boa pega, a boca do bebê deve ser levada em direção ao mamilo, e não o contrário. A mãe deve posicionar o polegar acima da auréola e o indicador abaixo, formando um ‘C’. Ao mamar, a boca do bebê deve estar bem aberta, com os lábios para fora, abocanhando quase toda a auréola e não somente o bico do peito, e as mamadas serão grandes e espaçadas. Não precisa segurar ou apertar a mama.

Quando for tirar a criança do peito, é bom usar a técnica conhecida popularmente como “técnica do dedo mínimo”: a mãe coloca o dedo mínimo na boca da criança para enganá-la. Ela aceita trocar o bico do peito pelo dedinho e, assim, não puxa o mamilo da mãe com força. Quando o bebê largar a mama, os mamilos devem estar levemente alongados e redondos.

Amamentação com posicionamento e pega corretos não dói, e é um momento bastante agradável para a mãe e para o bebê.


* Curso de Enfermagem da Faculdade de Ciências Biológicas e da Saúde, mantida pela Univiçosa: (1) Gestora, (2) Acadêmica do Oitavo Período, (3) Enfermeira Obstetra/Professora Estágio Supervisionado I e II, (4) Enfermeira Obstetra/Professor de Enfermagem na Atenção à Saúde da Mulher




AVISO LEGAL: Este conteúdo pode ser publicado livremente, no todo ou em parte, em qualquer mídia, eletrônica ou impressa, desde que a Univiçosa seja citada como fonte, remetendo para o site da instituição: www.univicosa.com.br




» ver todas